6 de janeiro de 2008

Criador e personagem

Há muitos anos, quando fiz uma (cospe de lado) dinâmica de grupo, pediram que eu escolhesse um (na época ainda se falava "uma") personagem para me representar num disco voador, foguete ou sei-lá-o-quê que iria formar a nova população de um planeta junto com os outros personagens escolhidos pelos candidatos. Escolhi a Mafalda.

Gosto da Mafalda por vários motivos. Identifico-me com ela pella inconformidade, por também ser contestador a respeito dos conflitos entre meus princípios e a realidade e pela ingenuidade inteligente. Por ver a beleza das coisas, vamos colocar assim. Há muitos anos, pensando em como o mundo, as injustiças etc. eram dignos de deixar qualquer pessoa com depressão, concluí que sou feliz demais para cair nessa tentação. O que não significa que certas coisas não me deixem muito chateado. Se fosse pra pensar a fundo, ver uma mãe ou criança ou pai ou idoso morando na rua me faria chorar um bocado, mas isso não resolveria nada. E aprendi que devo cuidar de mim e fazer meu melhor para poder fazer pelos outros.

É isso aí.

3 comentários:

Fernanda disse...

heh. "ver a beleza das coisas"... e você faz mesmo isso! beijos

Amanda disse...

Oi, atualiza?

Fê disse...

então você muda as coisas de lugar, é? ah tah, você pode! ;p